O Spotify, empresa de streaming musical, disponibilizou recentemente para os usuários brasileiros a função Spotify Running, que já faz sucesso nos EUA. Trata-se de um serviço exclusivo para quem curte correr, seja na esteira, seja na rua. Diferente de qualquer lista de músicas que você coloque para rodar enquanto dá suas passadas, o Spotify Running é inteligente: por meio do acelerômetro (aquele pequeno instrumento que identifica a posição em que seu celular está) ele reconhece e sugere uma sequência musical ininterrupta que acompanha seu ritmo de treino. A ideia é ajudar em seu desempenho esportivo ou inundar seus fones de ouvidos com boa música ao longo do percurso. Por enquanto, só é possível ativar a função em iPhones, mas a empresa promete disponibilizar uma atualização para usuários Android e Windows Phone em breve.

Leia também: Antes de correr, é preciso realizar alguns exames

/ Música, seu doping natural

Ok, você curte corrida e também curte música. A pergunta é: como uma lista musical pode ajudar a correr mais forte, ir mais longe ou manter alguém motivado, certo? A resposta vem da ciência. Costas Karageorghis, psicólogo do esporte na Universidade Brunel (Reino Unido) estuda a relação da música e atividades físicas há 20 anos. Para ele, existem 4 fatores musicais que contribuem para aquela motivação que você precisa ao longo do treino: ritmo, musicalidade, impacto cultural e associação.

Running

Os dois primeiros itens estão relacionados à estrutura e construção de uma faixa musical e vamos dar mais destaque a um deles. Já as seguintes tratam-se de fatores externos, individuais, em como você interpreta os sons que ouve: ou seja, seus gostos. O ritmo (primeiro item de importância) é baseado nas chamadas batidas por minuto (BPM) presentes em qualquer música. Elas se assemelham muito à cadência de batidas do seu coração. Afinal, não é à toa que, quando você corre, parece ter uma escola de samba no peito, não é?

Confira aqui uma playlist que criamos para você usar em seu próximo treino!

Um estudo publicado no Journal of Sport and Exercise Psychology constatou que ciclistas economizaram cerca de 7% no consumo de oxigênio durante as pedaladas, mas somente quando sincronizavam o ritmo deles com músicas de mesmo BPM. Essa economia significa eficiência esportiva: os caras foram mais longe com “menos” esforço. Aliás, segundo a mesma pesquisa, a música também causa um efeito no cérebro que diminui a sensação de que você está cansado ou se esforçando demais. Assim, é possível anular aquela vontade latente de parar o treino sem cruzar a meta pré-estabelecida. É como se fosse um doping, só que natural e – o mais importante – não é ilegal, nem causa efeitos colaterais a seu organismo.

/ O fator A (algoritmo)

Pois bem, voltando aos BPM. Quanto mais rápido você vai, mais seu coração bate, é óbvio. A atividade física demanda oxigênio, sangue e nutrientes para que seus músculos continuem correndo. Essa simples matemática está presente no algoritmo do Spotify Running, que identifica sua velocidade e sugere uma sequência de músicas ininterruptas. É como se você tivesse um DJ particular no celular tocando todas as músicas que você gosta e que estimulam seu treino. Quer mais?

Running

Esse algoritmo ainda entende suas preferências musicais, o que facilita sua empolgação quando AC/DC toca logo em seguida de Led Zeppelin (a menos que você seja desses caras que ouvem rock, pop, pagode e forró). Além disso, o Spotify tem investido pesado nas parcerias com produtores como DJ Tiësto para oferecer playlists exclusivas. Existe também a promessa de que o app Nike+, focado em corredores, receberá também a função Spotify Running, como mais uma parceria de peso das marcas para dar experiências únicas.

/ Sintonize o Spotify Running e corra!

É fácil usar a função. Você precisa ter um iPhone (como mencionei no começo do texto), clicar na aba superior à esquerda e ativar o Running. Daí, é só escolher a trilha que vai acompanhá-lo nas pistas. O aplicativo, então, pede para que você comece a correr de modo que ele consiga identificar seu tempo (ritmo de corrida). Uma vez sincronizado, suas músicas entram no autoplay. É possível pular a etapa de reconhecimento e inserir manualmente seu ritmo, caso você prefira deixar tudo configurado e guardar o celular no bolso antes de correr. Dessa forma, é possível inclusive aumentar ou diminuir as informações de sua velocidade no sistema. Ah, se você alterar manualmente o ritmo de corrida, o app muda automaticamente a faixa para igualar e você não ficar abandonado musicalmente.

Running

Vale ressaltar o crossfade de músicas (quando uma música começa sem que a outra termine), que mantém o som na mesma vibe o tempo todo. Isso é de suma importância. Afinal, ninguém merece ficar segundos naquela transição de uma faixa para outra. E infelizmente o aplicativo só funciona com sinal de internet. A menos que você seja cliente premium, uma vez que é possível armazenar as músicas e ouví-las em modo offline.

Caso você ainda pegue leve nos treinos e faça só caminhadas, o ideal é conferir essa playlist que montamos. O Running se baseia em corridas leves (140 BPM) a mais rápidas (180 BPM). Geralmente, caminhar está na faixa de 90 BPM a 120 BPM.