Nada melhor do que mandar ver naquela sobremesa pós-refeição, não é mesmo? Uns vão de gelatina, outros de pudim, mas durante o calor, nada se compara ao bom e velho sorvete. E não seria por menos! O Centro de ciências e neuroimagens do Instituto de Psiquiatria de Londres (Reino Unido) conduziu um estudo para entender os motivos que fazem com que você, eu e todo mundo goste tanto desse doce. Segundo o estudo, comer sorvete ativa uma parte do cérebro chamada de cortex orbitofrontal, responsável por relacionar emoções à comidas em geral. Para alcançar esses resultados, os especialistas usaram uma máquina de ressonância magnética por imagem, capaz de mapear as áreas mais ativas da massa cinzenta.

Não a toa, eis o que eles encontraram com a pesquisa: o tal cortex orbitofrontal indicou emoções positivas e grande atividade no centro de recompensa quando os pesquisados eram requistados a ingerir o sorvete. Inclusive, até em relação à textura e temperatura do alimento o cérebro reagiu. Tá explicado! “Prazer pode ser felicidade? Sim, pois de acordo com o campo da psicologia positiva, felicidade é simplesmente uma forma de medir uma emoção positiva”, disse Michael Brammer, professor de neuroimagem que conduziu a pesquisa.

A justificativa é que a combinação de temperatura, textura, sabor e outros fatores sensoriais estimulam essas reações.

A nutricionista Amanda Gatte, da Clínica Espaço Pellis, em São Paulo, esmiúça os tipos de sorvete que existem no mercado atualmente e ajuda você a escolher a melhor opção para sua sobremesa. Confira a seguir.

Sorbet/ Não leva leite e a consistência é próxima da raspadinha, como pequenos cristais de gelo que se misturam ao sabor adicionado. Desta forma, pode ser mantido em um congelamento de – 20°C. Sem o leite, a mistura tem validade de cinco dias.

Semifreddo/ A palavra semifreddo é uma denominação do italiano para semigelado, ou seja, um sorvete que não é tão gelado e tem uma quantidade maior de gordura do que os outros. Além disso, a temperatura de congelamento é mais baixa, próxima dos -5°C, sendo uma versão mais líquida – e que pode ser consumida no inverno, por exemplo. Na França, ele ficou conhecido como parfait, um iogurte mais gelado.

Sorvete de massa/ Já os sorvetes que estão à venda nos supermercados usam a mesma base líquida do gelato (água, açúcar, leite, sabor, emulsificante, espessante e aditivos), mas diferem quanto ao nivelamento de açúcar e água. A quantidade de açúcar impede que o sorvete vire uma bola de gelo, por isso escolhe-se mel ou sacarose para cada sabor específico, considerando os próprios açúcares do ingrediente. Isso significa que os sorvetes industrializados têm uma quantidade maior de água, por isso o gosto é diferente. E como precisam ter maior durabilidade, são congelados de -20°C até – 25°C, perdendo um pouco a cremosidade.

Paleta Mexicana/ Feitas artesanalmente à base de frutas. Bem maiores que os picolés comuns, possuem sabores e recheio diferenciados. Nada de produtos químicos. No cardápio é possível encontrar as paletas recheadas (paleta de morango recheada com leite condensado, a de banana com Nutella, manga com pimenta, etc). Mas o produto também agrada quem quer algo mais natural, paletas de salada de frutas, iogurte e até detox também são facilmente encontradas nas paleterias.

728---2