Ao assistir Sete Minutos depois Meia-Noite (A Monster Calls) logo me veio à cabeça o brilhante filme de Guillermo Del Toro, o Labirinto do Fauno. A mistura de fantasia aliada com toques de horror, característica clara de Del Toro, é sentida no primeiro ato do filme, que ao decorrer da história se mostra mais uma aventura de aceitação do que propriamente uma história moldada na fantasia. Aqui vai um spoiler positivo: este é um filme para você assistir com os filhos, sobrinhos, família e resgatar uma essência que pode ter perdido há algum tempo.

O filme dirigido pelo espanhol J. A. Bayona – conhecido pelo terror Orfanato (2008) – tem peso forte na realidade, especialmente sobre como uma criança de 12 anos tem que encarar a vida.

Conor (Lewis Macdougall) é um menino comum que enfrenta problemas de gente grande. A mãe está doente, o pai é ausente e, para piorar, ele sofre bullying na escola. Esse acúmulo de perturbações faz com que ele procure uma saída por meio de desenhos – além dos pesadelos. É neste momento que um monstro (Liam Neeson) colossal [na verdade uma árvore assustadora] aparece para contar três histórias.

Sete minutos após a meia-noite

É natural entender as reações que o menino tem ao longo do filme. Nesse caso, as atuações são primordiais. Tanto de Macdouguall, como da mãe, Felicity Jones, que hoje é estrela do mais novo filme da franquia Star Wars, Rogue One.

As relações dos dois são intensas e mostram todo o amor do filho, assim como o confronto interno que ele tem em lidar com os problemas da mãe. Para ajudá-lo nessa situação está a avó, interpretada pela genial Sigourney Weaver. Em umas das melhores cenas do filme, Conor e a avó estão no carro esperando um cruzamento abrir. Um suspiro de simplicidade e profundidade sendo resolvida por um neto e uma avó com problemas claros de relacionamento, mas que acima de tudo se amam e amam o elo em comum – filha e mãe.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, TAMBÉM ODIAMOS SPAM!

Sete Minutos depois da meia-noite é uma aula de emoção

Tantos conflitos fazem surgir uma outra relação: a com o Monstro. Em Sete Minutos  depois da meia-noite, o garoto busca uma forma de enfrentar tantos problemas personificando a árvore no fundo do quintal. E isso é fantásticos. As histórias contadas pela árvore representam o andar de Sete Minutos depois da meia-noite. A primeira história moral é a confusão de entender o que é certo ou errado. A segunda é sobre esperança. A terceira, o ódio. E, por fim, a quarta é a aceitação dos problemas. É um mergulho em seus mais honestos sentimentos sobre o mundo e, por que não, uma forma de mostrar a seu filho como lidar com isso?

Sete Minutos Depois da Meia-Noite é um filme de aceitação, onde temos que encarar os problemas com sinceridade e verdade. Eu assisti diversos filmes durante o ano, alguns eu nem lembro, mas com certeza este é um dos melhores filmes que vi.

Filme: Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls)
Direção: J. A. Bayona
Duração: 109 min
Elenco: Lewis Macdougall; Liam Neeson; Felicity Jones; Sigourney Weaver; Toby Kebbel
Lançamento: 05/01/2017

Sete minutos após a meia-noite