Se você é adepto da famosa cozinha de guerrilha, sem preocupação com utensílios ideais para preparar um rango, sem os ingredientes necessários para que a experiência gastronômica seja completa, da praticidade e não do gourmet, já deve ter se visto em resultados desastrosos. Principalmente no que diz respeito a coquetéis. Pois é, meu caro, tem hora que que ser prático não é ter qualidade. Veja o exemplo do garoto Kennedy Nascimento, de 22 anos. Ele conquistou o título de melhor bartender do Brasil na 7ª edição Diageo World Class, maior campeonato de coquetelaria do mundo, em 2015.

/ Kennedy Nascimento, o melhor bartender do país

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

E para chegar lá, não teve atalho: foram mais de oito horas de desafios que colocaram à prova os 10 melhores bartenders do Brasil. Kennedy Nascimento precisou provar ser conhecedor de um grande portfólio de bebidas, ser original na elaboração de drinques e ainda entender de gastronomia. É mole? Aos 17 anos, quando entrou para a faculdade de educação física, o garoto prodígio passou a fazer todos os cursos de coquetelaria disponíveis em São Paulo e já começou a trabalhar profissionalmente.

LEIA TAMBÉM: Uma playlist criada por Ronaldo Gasparian para a noite de drinks

Em 2012, entrou para a equipe do MyNY bar e trabalhou com Spencer Júnior e Alex Zemzack. Em seguida assumiu os bares dos restaurantes Epice e Beato. Do tipo nerd, Kennedy Nascimento participou de diversos campeonatos internacionais e ainda cursa a segunda graduação, dessa vez em Publicidade. “O que mais me motivou a vencer o World Class foi me tornar o melhor no que foi uma paixão passada do meu pai pra mim. Acho que ele ficaria orgulhoso. Agora espero conseguir a melhor colocação para o Brasil no mundial e talvez até a vitória”, comemora.

Aqui, ele dá sacadas para você mandar bem e mais: você confere os quatro drinks vencedores para reproduzir em casa!

/ Confie no modo de preparo
Se você vai seguir uma receita criada por algum fera dos drinks, confie nos ingredientes e no modo de preparo. Esses caras experimentam diversas combinações até chegar na mais equilibrada, então não tente improvisar. “A maioria dos drinques clássicos tem uma receita universal. É claro que cada bartender adquire técnicas diferentes, as vezes cria uma releitura do coquetel”, explica Nascimento.

/ Dê importância ao gelo 
Os coquetéis não iriam a lugar nenhum se não fosse pelo gelo. Pode reparar: É o ingrediente que está em quase 100% dos copos de bares por aí. Segundo o bartender, a produção do gelo não pode ser feita de qualquer jeito. Deve vir de água filtrada e se possível com resfriamento bem lento. Dessa maneira, o gelo fica com poucos gases e também mais transparentes. Evitem deixar as bandejas de gelo perto de alimentos no congelador, como peixes.

Kennedy Nascimento

Foto: Divulgação

/ Misture à vontade
Se você quer preparar uma noite de drinks, mas não pretende seguir nenhuma receita, exatamente pela possível espontaneidade na cozinha, não tenha medo de experimentar diferentes ingredientes no coquetel. “Não existe uma regra, eu costumo experimentar muita coisa para saber se os sabores se combinam. Não existe caminho fácil, é preciso comer e beber de tudo para aumentar a memoria sensorial, quando se faz isso fica fácil juntar sabores”, sugere Kennedy Nascimento.

/ Invista o mínimo necessário
Alguns utensílios podem ser substituídos na hora de preparar o drink, como uma peneira ou uma coqueteleira. Afinal, vai dizer que você nunca encaixou um copo no outro para montar aquela caipirinha? Porém, nem tudo tem uma saída criativa. Existem centenas de lojas especializadas em acessórios para bar, portanto, não se acomode!

 

 

Apothecary

50 ml de Ypioca Cinco Chaves
25 ml de suco de limão taiti
15 ml de xarope de agave
1 fatia de gengibre
bata tudo na coqueteleira e sirva em um copo on the rocks. Decore com folhas de louro.

Fancy Smile

40 ml de vodca Ketel One
30 ml de licor Lillet Blanc
10 ml de licor de flor de sabugueiro
2 dashes de ácido phosphato
2 gotas de tintura de sal
Sirva em uma taça cocktail

Gold Flame

40 ml de uísque Johnny Walker Gold Label Reserv
22,5 ml de vermute tinto
15 ml de licor Cherry Heering
1 dash de angustura
Spray de chertreuse verde
Sirva em uma taça martini e decore com uma fava de baunilha

Magnus

45 ml de gin Tanqueray
30 ml de vermute seco
30 ml de aperitivo de alcachofra
2 dashes de bitter boston bittahs camomila e frutas secas
2 gotas de tintura de sal
Sirva com casca de limão e cereja