Navegar é preciso, já dizia o ditado popular. Afinal, poucas coisas no mundo se comparam à sensação de desbravar o mar a bordo de um barco. Faz bem para o corpo, faz bem para a mente. Isso é comprovado no
livro publicado pelo biologista marinho Wallace “J.” Nichols. A obra explica como estar perto ou dentro da água pode trazer benefícios para sua saúde mental. J, como é conhecido, possui centenas de estudos sobre o tema, sendo, talvez, a maior referência no que diz respeito à relação do homem com o mar. Assim sendo, você já pensou em praticar esporte a vela como forma de manutenção da saúde e treinamento para o corpo?

/ Iatismo e o cuidado com a saúde

De acordo com Thalita Pecoraro, personal trainer da rede Body Tech, são inúmeros os benefícios da prática da vela para a saúde. “Ao exigir movimentos rápidos, repetitivos e coordenados, a atividade trabalha de forma conjunta áreas como abdome, braços e pernas. Com isso, além dos números significativos em relação ao gasto calórico, aprimora o condicionamento físico e ajuda na definição da musculatura”, explica.

Claro, qualquer um pode praticar o esporte, mesmo começando do zero, e adquirir ótimos resultados em ganho de equilíbrio, resistência e agilidade. Pessoas com deficiências físicas também podem se aventurar sem receios, pois no mercado já existem barcos adaptados para a prática.

E os benefícios não param por aí. A atividade não só ajuda na concentração, ao exigir foco e decisões rápidas, mas também é um ótimo remédio contra o estresse, além de melhorar bastante a sensação de relaxamento. “A vela é um esporte completo, pois, além do esforço físico, envolve um trabalho psicológico e cognitivo. Mais do que um simples esporte, pode ser adotada como uma filosofia de vida”, finaliza a personal trainer Thalita Pecoraro. Confira abaixo o que você ganha praticando iatismo.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, TAMBÉM ODIAMOS SPAM!

Força muscular

Velejar exige uma série de movimentos para controlar a embarcação. A maioria deles envolve força para puxar as cordas e equilíbrio nas tomadas de direção do barco. Tudo isso trabalha seus braços, pernas, abdome, ombros e costas.

Condicionamento

Esportes como corrida e natação diminuem o risco de hipertensão. O mesmo acontece com o iatismo. A explicação: Todas essas atividades aumentam seu consumo de oxigênio e isso melhora seu condicionamento.

Saúde mental

O ar úmido e salgado do mar é composto por íons que auxiliam o corpo a aproveitar melhor o oxigênio que você respira durante o esporte. Assim, o organismo produz mais serotonina (hormônio do prazer) enquanto você curte.

Iatismo

É o número de calorias que você queima em uma hora de vela

Relaxamento

Navegar é como meditar. O balanço do barco, o som das ondas batendo no casco, do mar… tudo funciona como um metrônomo que influência suas frequências cerebrais e aliviam o estresse.

Agilidade

As diversas funções da navegação melhoram sua flexibilidade, agilidade, coordenação visual e motora. E, claro, assim como seu tempo de resposta caso pinte algum problema ao seu redor.

 

Concentração

Com tantas tarefas a cumprir durante a navegação, você ainda precisa ficar ligado na segurança a bordo. Por isso, não se surpreenda caso desenvolva seu poder de concentração e foco.

Comunicação

Para uma navegação efetiva, todos os tripulantes do barco precisam trabalhar como uma unidade. Por mais tímido que você possa ser, aqui vai aprender a se comunicar de maneira eficaz e direta.

Exatamente com o objetivo de atrair cada vez mais pessoas para o iatismo e torná-lo mais acessível ao público, foi fundada em 2015 a Academia Náutica do Rio de Janeiro. Além de aulas em barcos a vela, mostrando que velejar não é nenhum bicho de sete cabeças, o projeto oferece ainda uma série de experiências, tanto para quem procura somente um bom passeio pelo mar, quanto para os que desejam mergulhar de cabeça na aventura, mas ainda sem familiaridade com os esportes náuticos.

“O objetivo da Academia Náutica é justamente estimular a prática contínua para o real aprendizado do esporte, mostrando que o iatismo pode, sim, ser um esporte acessível, apesar de muitos o acharem restrito a quem tem dinheiro, possui o próprio barco, ou foi criado no meio desde pequeno”, explica Daniel Rocha, um dos idealizadores do projeto.

Essa era a visão de Daniela Pinheiro, engenheira mecânica, 42 anos. Adepta do mergulho desde nova, encontrou na Academia a possibilidade de conhecer mais de perto o iatismo, e perceber como, na realidade, a modalidade pode ser desfrutada por todos. “Em um país com uma costa navegável tão grande, um projeto assim é importante para desmistificar esse esporte tido como caro, mostrando que todos podem aproveitá-lo, independente de ser sócio em um clube ou possuir uma embarcação”, destaca Daniela, que já participou de duas regatas e tenta velejar pelo menos uma vez por mês.

Já Davi Ferreira, engenheiro elétrico, 30 anos, descobriu no iatismo a oportunidade de fazer uma atividade divertida, ao ar livre, e em contato direto com a natureza. “É muito agradável poder ver o Rio de Janeiro de um ponto de vista inédito. Além disso, por meio do esporte, pude desenvolver habilidades essenciais no meu próprio dia-a-dia, como raciocínio rápido, dinamismo e trabalho em equipe”, enumera.