Enquanto algumas pessoas amam o frio, outras ficam deprimidas conforme os termômetros anotam a queda na temperatura. Você se sente para baixo, não tem vontade de levantar da cama e come feito louco? Isso pode ser transtorno afetivo sazonal.

Apesar do nome complicado, a condição é conhecida também como depressão de inverno e cerca de 9% da população passa por variações de humor em períodos de frio e chuva. Para você entender melhor, trata-se de um subtipo de depressão que começa e termina em torno da mesma época a cada ano. Os sintomas surgem com a mudança nas estações, muitas vezes com início no outono, que segue até os últimos dias de inverno. A Universidade de Copenhague (Dinamarca) identificou o problema por exames de tomografia.

Nesse período, os dias ficam mais curtos e o sol aparece com menos frequência, o que diminui a incidência de luz solar sobre sua pele. Isso afeta diretamente seu organismo, em especial a serotonina (neurotransmissor que regula o humor).

 

Pode parecer hippie, mas sol é felicidade!

/ A causa da depressão de inverno

A principal tese dos especialistas para a depressão de inverno é que a falta de luz solar, como citado acima, afeta o funcionamento do hipotálamo, que por sua vez afeta a formação de neurotransmissores, substâncias químicas que as células cerebrais usam para se comunicar umas com as outras. Até aqui, tudo bem?

A serotonina é um desses neurotransmissores. Considerada a “molécula da felicidade”, desempenha um importante papel no seu humor, aprendizagem, memória, regulação do apetite e sono. A vitamina D é um nutriente essencial que é criado quando a pele é exposta à luz solar e a deficiência nessa vitamina pode ser a causa da depressão e ansiedade que algumas pessoas experimentam durante os meses de inverno.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

/Sintomas

Acha difícil sair da cama no frio ou tem problemas em se manter acordado nas manhãs frias? Esses são sintomas comuns de SAD ou, como já falamos, depressão de inverno. Não é só o sono que muda, você pode perceber que seu apetite aumenta. Esse comportamento continua durante todo o inverno. Muitas vezes, você sonha em devorar pão, macarrão e doces. A dificuldade em mover seus membros também é evidente. A depressão de inverno faz você se sentir apático e menos social. Inclusive, os dias frios podem fazer você se afastar de amigos e familiares, alem de diminuir atividades que antes proporcionava alegria, como correr, treinar, viajar e até mesmo beber.

Tratamentos

Não tem jeito, a melhor forma de resolver esse problema ainda é luz solar. Então, aproveite ao máximo o pouco de sol que aparecer durante os dias frios. Pratique atividades ao ar livre, como caminhar antes do trabalho ou durante a hora do almoço, passeie com o cachorro, ler um livro no jardim… Essas são coisas que podem ajudar a aliviar o problema. Mas se não tem luz solar nenhuma, experimente a fototerapia. A técnica consiste em lampadas que imita a luz do sol e dão ao seu corpo efeitos semelhantes, mesmo quando o sol está longe de ser encontrado. A terapia comportamental cognitiva e a suplementação de vitamina D (quando recomendada por um nutricionista) também podem ser eficazes na redução desses sintomas.

Alimento clássico e muito usado como indutor natural de sono, a banana é um eficiente relaxante muscular por possuir triptofano, vitamina B6, magnésio e potássio. “A banana, rica em triptofano, vitamina B6, magnésio e potássio, estimula a produção de serotonina e, consequentemente, ajuda a diminuir ansiedade e irritação”, finaliza Cynthia Maureen, nutricionista de São Paulo.