As corridas se tornaram uma prática muito comum, prova disso é o número crescente de participantes nas diversas provas e maratonas pelo país. De acordo com Ricardo Cury, ortopedista e professor do Grupo de Cirurgia do Joelho e Trauma Esportivo da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, se você nunca praticou esporte e quer ingressar em alguma atividade física, é necessária realizar de uma avaliação cardiológica para evitar sérios problemas de saúde.

“Você deve procurar um preparador físico que irá traçar um plano de treino de acordo com suas características. Caso você não tenha acesso a esse profissional, a recomendação é iniciar o esporte de maneira progressiva. Por exemplo, começar com uma caminhada, depois de um tempo alternar com períodos curtos de corrida e, aos poucos, aumentar a frequência e a duração da prática. É importante ficar atento aos sinais do corpo e, caso sentir algo diferente, procurar um médico”, afirma.

O professor explica que atualmente existe um estímulo para a prática da corrida, principalmente pela facilidade e pelo baixo custo do esporte. “As atividades esportivas diminuem os riscos de infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC), problemas relacionados ao diabetes, entre outras enfermidades”, diz.

Segundo Cury, fatores como exagerar no ritmo do exercício ou partir da caminhada para a corrida sem progressão e orientação podem ocasionar prejuízos à saúde. “Se você começou do zero ou de uma maneira muito intensa, é comum ocorrer lesões nos membros inferiores e na musculatura, além de processos inflamatórios no pé e tornozelo. No joelho, podem ocorrer danos na cartilagem, sendo necessária a realização de cirurgia”, explica.

Para pessoas que sofrem de algum tipo de problema na coluna vertebral, Cury recomenda que, primeiramente, se recupere e melhore as condições do membro, tendo em vista que dependendo da fase da doença, a corrida pode gerar dor. Após a recuperação, deve encontrar uma zona de segurança para a prática do exercício.

“É importante estar preparado para a corrida, com roupas leves e um calçado apropriado, que se adapte ao pé do corredor e que tenha um sistema de amortecimento capaz de diminuir o impacto da pisada e proteger as articulações”, finaliza.