Quando seria possível imaginar que uma viagem ao espaço se tornaria uma opção de destino para as férias? Ou passar dias em um hotel submerso no mar contemplando cardumes de peixes pelas paredes e teto? Sim, isso será possível em 2024, segundo a terceira parte do relatório Viagens no Futuro, lançada no Brasil pelo Skyscanner, empresa especializada em pesquisa online de passagens aéreas, hospedagem e aluguel de carros.

Em parceria com o ‘The Future Laboratory’ e uma equipe de 56 especialistas, Viagens no Futuro 2024 traz informações detalhadas sobre o impacto das tecnologias nas viagens da década de 2020. O relatório, dividido em três partes, conta como a experiência de viajar será repleta de novidades. A terceira fase do estudo destaca novos destinos ao redor do mundo, além de prever como as mídias sociais permitirão que os viajantes criem uma experiência única e intuitiva, com base nas necessidades e desejos de cada um.

Viagens espaciais e hotéis subaquáticos

Em 2024, a órbita terrestre será um destino acessível para os que possuem alto poder aquisitivo. A viagem ao espaço levará os viajantes mais destemidos aos limites mais afastados da atmosfera do planeta. E o melhor: a viagem espacial não será simplesmente de ida e volta, os viajantes poderão ficar lá tempo suficiente para desfrutar e apreciar um ambiente excitante e extraterrestre.
Para Filip Filipov, diretor de B2B do Skyscanner, a viagem ao espaço será um marco importante para a humanidade em geral. “Melhor do que a possibilidade de vivenciar o espacial, real ou simulado, será poder viajar em aviões espaciais de baixa órbita que reduzirão dramaticamente a duração de voos transatlânticos. No caso da Virgin Galactic, cuja nave pode orbitar a Terra por 2,5 horas, um viajante normal poderá fazer o trajeto de Londres à Sydney em 2,5 horas, se a mesma tecnologia de ida ao espaço puder ser aplicada com segurança à aviação comercial”, explica o executivo.

Para quem prefere não se arriscar em uma viagem ao espaço, as viagens ao fundo do mar serão outra opção interessante e com preço mais acessível. A indústria hoteleira já está expandindo este conceito e tem como objetivo a construção de hotéis inteiros embaixo d´água, incluindo spas, jardins e piscinas, todos com aquário estilo janelas, o que dá um indício de que as férias subaquáticas serão uma proposta muito mais popular em 2024. Alguns hotéis já começam a apostar neste tipo de opção inovadora como o Atlantis Hotel na Palm Island, em Dubai.

Os quartos de hotel de 2024 e a hiper-personalização

Em 2024, os avanços na tecnologia digital significarão praticidade e rapidez no processo de hospedagem. Será possível realizar sem a necessidade de ajuda de alguém, desde a procura pelo hotel até o momento do check-out. Os hotéis disponibilizarão uma hiper-personalização por meio de seus sites, onde será possível reservar um quarto em que tudo, desde a temperatura do ar à pressão do chuveiro, será definido de acordo com as preferências do hóspede.

As paredes dos quartos serão totalmente interativas e capazes de reproduzir filmes, fotos e até chamadas via Skype. Além disso, o viajante poderá encontrar almofadas com dispositivos eletrônicos integrados para massagear a cabeça e o pescoço para auxiliar o sono e funcionar também como um despertador pela manhã. Os hotéis também oferecerão pijamas especiais com sensores para monitorar os níveis de açúcar e disponibilizar conselhos de dietas relevantes, e sistemas holográficos projetarão imagens em 3D de personal trainers para auxiliar nos treinos.

Novos destinos para descobrir com ineditismo

Com o crescimento das redes sociais, o direito de se exibir continuará sendo um fator de motivação na determinação do destino de viagem em 2024. Muitos viajantes gostam de ter experiências únicas e, no futuro, eles poderão realizá-las de forma inusitada. Uma viagem às Zonas Proibidas – áreas atualmente consideradas inacessíveis devido aos conflitos e problemas políticos – será acessível e permitirá que o viajante se gabe por ter sido um dos primeiros a conhecer o local. Por outro lado, espécies e habitats em vias de extinção irão valer o privilégio de estar entre os últimos que visitarão estes lugares.

Além disso, em 2024, países como o Afeganistão, Coreia do Norte e Irã se tornarão muito atraentes, pois os viajantes vão querer ser os primeiros a ir a esses locais inéditos. O Líbano poderá se tornar a nova Dubai, e o Butão será um destino para viagens de luxo em nível global.

O contato com os moradores locais também ganhará um caráter ainda mais colaborativo à medida que milhões de pessoas alugarão suas casas para turistas e levarão hotéis e resorts a adotarem a ideia e a transformar seus quartos em ambientes mais acolhedores e parecidos com casas reais.

Metodologia de pesquisa

O estudo Viagens no futuro 2024 é o trabalho de uma equipe de 56 editores, pesquisadores e especialistas em tendências do futuro nas mais importantes cidades internacionais, com a finalidade de criar uma representação detalhada dos próximos 10 anos e de como tecnologias inovadoras redefinirão a indústria global de viagens na década de 2020. Foram exploradas tecnologias de viagens e comportamentos futuros combinando o conhecimento de um painel de especialistas mundialmente reconhecidos, incluindo o Futurista Daniel Burrus, autor de Technotrends: Como usar a tecnologia para ficar à frente dos concorrentes, e do Futurologista de Viagens, Dr. Ian Yeoman.

Para ler o relatório completo, visite www.skyscanner2024.com.