As lesões que acontecem em atividades esportivas são relativamente normais. Geralmente ocorrem por falta de condicionamento físico, um simples alongamento que não foi feito adequadamente e muitas vezes por esforço muscular repetitivo.

As mais comuns são câimbras, torções, contraturas muscular, luxações e algumas mais graves que necessitam de procedimentos cirúrgicos, onde se enquadram as rupturas de ligamentos e fraturas.
Hoje, O Hall vai explicar um pouco mais sobre uma lesão que é extremamente silenciosa e que em sua imensa maioria acontece nos famosos “ guerreiros de fim de semana “. Estes que praticam suas atividades esportivas esporadicamente, no máximo 1 vez por semana, muitas vezes com sobrepeso, que não se preocupam com alongamentos e aquecimentos antes de entrarem em campo, quadra ou em uma corrida.

A LESÃO DO TENDÃO DE AQUILES.

O tendão de Aquiles é uma estrutura fibrosa que tem origem nos gêmeos (músculo que se encontra atrás da perna logo abaixo do joelho) e insere-se no calcanhar. O tendão de Aquiles é a estrutura tendinosa mais resistente do corpo. Quando os músculos gêmeos contraem fazem com que o tendão de Aquiles puxe o pé para baixo. Sendo assim, estas duas estruturas (o músculo e o tendão) “trabalham” sempre que damos um passo para propulsionar o corpo para cima e para frente.

SINTOMAS DE  LESÃO  NO TENDÃO DE AQUILES

– Grande estalo sentido próximo ao calcanhar ( parecendo ter recebido uma pedrada );
– Dor elevada de curta duração;
– Vermelhidão próxima ao tornozelo;
– Um buraco ( GAP ) alguns centímetros acima do calcanhar;
– Inchaço do tornozelo e região da panturrilha;
– Dificuldade de caminhar.

foot_achilles

TRATAMENTOS

O melhor tratamento para um tendão de Aquiles lesionado muitas vezes depende de sua idade, nível de atividade e da gravidade da sua lesão. Em geral, pessoas mais jovens e mais pessoas ativas, muitas vezes optam pela cirurgia para reparar uma ruptura completa, enquanto as pessoas mais velhas são mais propensas a optar por tratamento não cirúrgico ( conservador ). Estudos recentes, no entanto, têm demonstrado eficácia bastante igual de gestão tanto operatório e não cirúrgico.

REABILITAÇÃO

Após o tratamento, se cirúrgico ou não cirúrgico, você vai passar por um programa de reabilitação que envolve exercícios de fisioterapia para fortalecer os músculos das pernas e tendão de Aquiles. A maioria das pessoas voltam ao seu nível anterior de atividade em média de quatro a seis meses.

PREVENÇÃO

– Alongar e fortalecer os músculos da panturrilha;
– Não saltar durante uma corrida sem estar devidamente aquecido;
– Varie os exercícios. Alternando esportes de alto impacto, como a corrida, com esportes de baixo impacto, como caminhadas, andar de bicicleta ou nadar. Evite atividades que colocam o estresse excessivo nos tendões de Aquiles , tais como subidas e pular durante as atividades;
– Escolha as superfícies com cuidado. Evite ou limite a correr em superfícies duras, irregulares ou escorregadias;
– Aumente a intensidade do treino lentamente. Lesões do tendão de Aquiles comumente ocorrem depois que uma pessoa aumenta abruptamente os treinos. Aumente a distância, duração e frequência de sua formação, não mais do que 10% a cada semana.

Portanto, cuide-se antes de iniciar qualquer prática esportiva.