Em 1895 William George Morgan criou o Voleibol no intuito de ser um esporte que evitasse o contato físico entre os jogadores, oferecendo uma atividade em que as lesões físicas, provocadas por choques entre praticantes, fossem raras. Segundo o técnico do time de vôlei São Cristóvão Saúde/São Caetano, Hairton Cabral, o treinamento de alto rendimento no voleibol possibilita ao praticante maior sociabilização, disciplina e responsabilidade, “O desenvolvimento das capacidades físicas são essenciais não só para a prática esportiva, mas também nas atividades cotidianas, melhorando a coordenação motora, flexibilidade, força, resistência aeróbia e anaeróbia” diz o técnico.

Os benefícios da prática de esportes são inúmeros, tanto para a saúde física quanto mental. O exercício físico faz parte da rotina de quem busca uma vida saudável e além de proteger de doenças, melhora a função imunológica, eleva a confiança e influencia positivamente fatores psicológicos. Segundo a educadora física do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Isabel Cristina Dias Ribeiro, a prática do vôlei é lúdica para crianças, fundamentada para adolescentes, jovens e adultos ou pode ser adaptada para a terceira idade podendo ser uma opção de exercício físico atraente e diferente para as pessoas. “Durante uma partida de vôlei, um grande grupo muscular é requisitado, e músculos como: tríceps, musculatura paravertebral, abdominais e musculatura dos antebraços além dos membros inferiores ficam em constante movimento. O Vôlei faz o corpo trabalhar como um todo, melhorando as capacidades físicas funcionais, cardiorrespiratórias e de fortalecimento, o que é extremamente benéfico à saúde”, diz a educadora.

Os atletas e praticantes de voleibol precisam se dedicar aos treinamentos, que vão desde exercícios cardiovasculares, atividades que trabalham diversos grupos musculares, e preparam o jogador para aumentar o seu desempenho durante as partidas. “Para o organismo suportar essa rotina é preciso se alimentar muito bem e suprir a necessidade que o corpo de nutrientes básicos, ter força muscular, resistência e um bom sistema imunológico, para suportar o ritmo de treinos e de jogos do esporte” comenta Hairton Cabral.

Silvana Papini, capitã do time São Cristóvão Saúde/São Caetano conta como é ser uma atleta profissional, “Para trabalhar em alto nível de rendimento é preciso ser disciplinado. Ter uma dieta balanceada, não ingerir bebidas alcoólicas, ter o sono sempre em dia e respeitar os horários de descanso para aguentar o dia a dia dos treinamentos, que são bastante puxados. Estas ações são importantes até para evitar lesões. Temos que ter o corpo e a mente sempre trabalhando bem”.

Silvana comenta que começou a praticar o vôlei com 14 anos e sua vida deu uma guinada desde então, “Desde que comecei a jogar, minha vida mudou completamente e para melhor. Graças ao esporte ganhei bolsa de estudos, tive a chance de viajar e conhecer vários países. Tenho uma boa qualidade de vida e hoje posso ajudar minha família e meus amigos. Além de trabalhar fazendo o que gosto”.

Segundo o Técnico do São Caetano/São Cristóvão, o período ideal para a iniciação da prática do voleibol por crianças é entre 10 e 12 anos. Embora muitos acreditem que para praticar o vôlei é preciso ter uma altura diferenciada o profissional explica “O voleibol profissional possui um perfil físico específico para facilitar o desempenho do atleta dentro das quadras, porém não é um fator determinante, pois existem outros pontos importantes que influenciam na performance como qualidade técnica, cognição, poder de superação etc.”.