Produções para suprir a carência por esporte durante a quarentena

BRUNO ACIOLI

De documentários atuais a grandes filmes de Hollywood, aqui está uma lista indispensável dos campos, quadras, pistas e arquibancadas para fanáticos – e carentes – por esportes neste período de isolamento social.  O último da lista é, de fato, o melhor de todos.

/ Esporte na tela

The Last Dance (Netflix) – Co-produzido pela ESPN americana, a série-documentário conta a cruzada do grande Chicago Bulls na temporada 97-98, em especial, a história não contada do maior fenômeno do basquete mundial, Michael Jordan. 

A produção tem mais de 10 horas de jogos, bastidores e polêmicas em torno do último título dos Bulls. O retrato da campanha já levanta debates

 

Homens Brancos Não Sabem Enterrar (1992) – Já que abrimos essa seleção com basquete, não dá para deixar de lado esta recomendação. Estrelada pela dupla Woody Harrelson e Wesleys Snipes, o enredo mostra dois exímios jogadores de quadras de cimento que juntam habilidades para vencer nas ruas. Com um pequeno detalhe: eles espalham que Billy (Harrelson), por ser branco, não sabe nada sobre o esporte. Você vai descobrir o que rola a partir daí. 

Ford v Ferrari (2019) – Baseado em fatos reais, o filme mostra a batalha travada entre as montadoras Ferrari (famosa pelas vitórias em circuitos importantes de velocidade) e a estreante das pistas Ford. O filme rendeu a Christian Bale a indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante pelo papel do piloto e veterano de guerra Ken Miles. O objetivo da marca americana é um só: vencer os italianos em Le Mans, a mais tradicional competição de motor, que acontece na França.  

Quer receber mais conteúdos sobre filmes? Inscreva-se abaixo.
Nada de spam!

Senna (2010) – Ayrton Senna é, indiscutivelmente,  grande herói brasileiro nos esportes, mesmo que haja debate sobre  velocidade ser ou não uma categoria esportiva. De qualquer forma, o piloto não só conquistou os corações dos brasileiros pelas vitórias e perseverança, mas acima de tudo, pela coragem com que dirigia a famosa McLaren envelopada por uma marca de cigarros. Em especial, nas chuvas. Ninguém foi tão ousado a 300 km/h como Senna. O tricampeão de F1 sempre foi inspiração para muita gente. Até mesmo para outro campeão das corridas, Lewis Hamilton

Duelo de Titãs (2000) – O filme narra a ascensão meteórica dos Titãs de Alexandria (EUA), equipe de futebol americano criada após o “fim” da segregação racial americana. Para desenvolver a equipe composta por garotos pretos integrados ao colégio branco T.C. Williams, a diretora da escola contrata Herman Boone, interpretado por Denzel Washington.  

A produção retrata com fidelidade o ambiente de preconceito enfrentado no sul dos EUA, tanto na ambientação dos alunos quanto na aceitação da comunidade local em ter um técnico afroamericano liderando não só a principal equipe esportiva da escola, mas também os filhos de famílias brancas.

O Ano Em Que Meus Pais Saíram De Férias (2006) – O último item de nossa lista é o mais importante. A ideia era incluir alguma das muitas produções sobre futebol, mas não há ocasião para tal. No lugar, eis a recomendação: um garoto é deixado com o avô pelos pais no ano de 1970. A Seleção Brasileira disputava a Copa do Mundo naquele ano, mas uma disputa muito mais importante acontecia no Brasil: a luta contra a Ditadura Militar. Em tempos sombrios como os atuais, esse filme se faz mais do que necessário.