Não é só agonia e aflição que a ansiedade causa. Ela é um grande mal mental, você sabe, mas também é físico. Seu corpo, em resposta a essa situação, causa diversos incômodos e sintomas, como dores musculares, de cabeça, acordar em um estado de cansaço e ter déficit de memória. Soa familiar para você?

Um estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology constatou que pessoas muito neuróticas com a própria saúde acabam piorando e  – em alguns casos – desenvolvendo doenças cardiovasculares. “Essa sensação agoniante pode prejudicar muito e limitar sua vida. Por isso, é necessário falar e estar em um equilíbrio emocional para saber administrar o cotidiano estressante que qualquer pessoa pode ter”, afirma Eraldo Melo, psicólogo de Itumbiara (MG), formado pelo Instituto Luterano de Ensino Superior (ULBRA) .

“Por ser um estado que traz sensações ruins, a ansiedade pode acarretar muitos malefícios como transtornos mais sérios e doenças graves por afetar sua imunidade. É muito normal que um indivíduo ansioso tenha sintomas como diarreia, insônia, desconfortos e principalmente uma inquietação e a falta de concentração”, explica.

Assim, Eraldo lista quatro estratégias simples para controlar a ansiedade.

1/ Seja positivo

Não deixe de pensar positivamente. Essa é uma ótima estratégia de motivação. O negativismo é uma maneira de diminuir ainda mais o psicológico de qualquer pessoa. Pense que tudo vai dar certo porque isso vai atrair coisas boas.

2/ Diminua seu estresse

Estar com a cabeça voltada apenas para as obrigações é extremamente estressante. Por isso, realize alguma atividade física ou simplesmente relaxe em casa. Essas pequenas sugestões evitam uma ansiedade indesejada.

3/ Foque no presente

A ansiedade é um mal que vem do futuro, ao contrário de traumas, que são situações frustrantes que aconteceram e são lembrados constantemente. Ou seja, não adianta se preocupar com o que ainda não aconteceu. A melhor saída é sempre se preparar para aquela ação que você está ansioso que ocorra, como por exemplo, uma entrevista de emprego ou uma apresentação em público.

4/ Seja inteligente emocionalmente

A Inteligência Emocional é um conceito que vem ganhando força: é um conjunto de habilidades emocionais e comportamentais que contribuem para o desenvolvimento de vários aspectos, como autoconhecimento, autocontrole, motivação, produtividade, criatividade e capacidade de lidar com problemas, entre muitos outros. Ou seja, ser inteligente emocionalmente significa ser capaz de conhecer suas habilidades e também seus pontos fracos. Aceitar essas limitações pode ser um passo de extrema importância para você conseguir manter um equilíbrio psicológico e não cair no medo e na apreensão de realizar alguma coisa.