Você leu certo, mas em caso de dúvida, vamos repetir: dormir mais de sete horas por noite aumenta o seu risco de desenvolver diabetes tipo 2. Essa triste notícia é fruto de um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. 

 

Cientistas europeus investigaram 788 homens com um dispositivo que acompanha a movimentação do corpo durante o descanso, além da qualidade do sono. Depois, testaram como o organismo desses caras produz e utiliza insulina (hormônio responsável por controlar o açúcar no sangue). O procedimento foi comparado também com mulheres.

Bem, o resultado não foi nada positivo para nós, homens. De acordo com Femke Rutters, autor do estudo, a quantia de horas de sono que você tem está relacionada à resposta que suas células dão à insulina. Logo, dormir muito pode fazer com que seu organismo não atue adequadamente no equilíbrio da glicose no sangue, que pode ocasionar diabetes tipo 2.

 

Vamos pensar pelo lado positivo: você pode preparar o café da manhã e levar para ela todos os dias na cama.
Vai ganhar muitos pontos, com certeza.

E não para por aí: dormir pouco também não é a solução. A pesquisa descobriu ainda que os caras que dormiram menos de 7 horas por noite tiveram nível elevado de açúcar no sangue.

 

É o tempo ideal de sono que você deve ter, segundo pesquisa publicada no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

Para Carolina Elena Carmona de Oliveira, especialista em medicina do sono, existem outros problemas que podem ser ocasionados por pouco ou muito sono, como hipertensão arterial, obesidade, depressão e ansiedade. “Isso acontece por Excesso de liberação de cortisol e adrenalina (hormônios do estresse), aliada à redução da liberação de leptina (hormônio da saciedade) e do GH (hormônio do crescimento). Quem deixa de descansar não repara os tecidos do corpo e sobrecarrega o organismo como um todo”, explica. 

 

DIABETES

A diabetes tipo 2 existe quando o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente para equilibrar o açúcar que corre em nosso sangue (para dar energia, no caso), principalmente depois de comer, quando existe um pico de glicemia.

“Mesmo pessoas saudável estão suscetíveis a esse cenário, se não tomarem cuidado com o sono. Afinal, como mostrou nossa pesquisa, dormir pouco ou muito pode causar detrimentos à saúde dos homens”, finaliza Rutters.