Como não passar vergonha na academia: um guia prático

BRUNO ACIOLI

Todas as academias têm uma figura que, por intenção ou descuido, acaba por pagar micos fenomenais na busca por um corpo perfeito. Seja por exagerar na energia ao levantar peso, seja por largar os tênis úmidos em qualquer lugar.

Apesar de ser um ambiente descontraído, existe um código de conduta ditado pelo famoso bom senso dentro das academias.  Não importa se você é expert em levantamento de halteres ou pisa na sala de musculação pela primeira vez hoje. Com nossas dicas, você não corre risco de passar vergonha na academia. 

// Como não passar vergonha na academia

Não grite. É completamente compreensível que você e muitas outras pessoas cheguem estressados na academia. Aliás, treinar é uma das formas mais prazerosas de limar o estresse, de acordo com estudo da Associação Americana para Ansiedade e Depressão. Cientistas descobriram que exercitar o corpo diminui consideravelmente a tensão, melhora o humor, o sono e a auto-estima. Para os especialistas, cinco minutos de atividades físicas, como pular corda, já diminuem a ansiedade. Mas não é por isso que você vai gemer alto a cada erguida no supino, certo? A música alta já pode ser um incômodo aos colegas que frequentam a academia, não seja motivo de piada e má educação. Concentre sua força nos músculos, não nas cordas vocais.

Seja breve nos aparelhos. Nós sabemos. O Instagram bomba, o Facebook está repleto de memes engraçados e o grupo dos brothers no What’sApp está a mil para definir qual será o bar da noite, mas nem por isso você deve monopolizar os aparelhos da academia para usar o smartphone. Lembre-se que muitas pessoas ali estão focadas (aliás, você não?). Deixe para responder as notificações após o treino. Se preciso for, guarde seu gadget no locker da academia. 

Respeite o treino alheio. Como falamos no item anterior, as pessoas estão na academia com um objetivo, de modo que treinem eficientemente e não gastem mais tempo que o necessário. “Por mais que você seja extrovertido e tenha muitos amigos na academia, jamais tire o foco da turma. O objetivo ali é malhar e não bater papo. Portanto, cuidado com a conversa fiada além do limite”, alerta Rodrigo Sangion, personal trainer e proprietário da Les Cinq Gym, eleita a melhor academia do mundo. E, o mais importante: Contenha sua necessidade de paquerar. Nem todas as pessoas estão abertas a uma abordagem enquanto treinam pernas… O máximo aceitável é convidar para um suco pós-treino e só. 

Guarde os acessórios. A pressa também não é motivo para você ser um cara desprezível na academia. É legal chegar para treinar e encontrar tudo limpo, no lugar certo, ajeitado, não é? Isso depende, também, da boa vontade de quem treina. Não custa nada colocar o halter de volta ao lugar dele, devolver os colchonetes e outros itens de treino. Os funcionários agradecem e você evitar acidentes.

 Ouça seu treinador. O personal trainer sabe mais do que você, isso é um fato independente ao tempo que você treina. Não se ofenda quando o professor chamar a sua atenção para a execução correta de um exercício que você está fazendo errado. “Mesmo que você malhe há muito tempo e se considere autodidata, o professor tem conhecimento de sobra para criticar a sua execução. E é óbvio que ele quer que você faça direito para que o exercício seja melhor aproveitado”, explica Sangion. Afinal, a última coisa que você deseja é uma lesão por conta do treino, certo?

Quer mais conteúdos sobre relacionamentos?
Inscreva-se abaixo. Nada de spam!

Escolha bem o visual. Não é porque seu corpo é digno de aplausos que você deve aparecer na academia em trajes sumários, no estilo “estou podendo” ou como se estivesse na praia. Não seja aparecido.  

Tenha pontualidade. É importante lembrar que, independente da sua rotina, as academias têm horários específicos de funcionamentos e pessoas que dependem deles. Desde a turma que cuida da recepção ao seu personal trainer, atrasar ou chegar minutos antes fechar é causa inconvenientes. “O pior é não assumir o atraso e sempre arrumar uma desculpa, como o trânsito. Nesse caso, o professor também sabe que você está mentindo”, finaliza Sangion.