O veludo está de volta (e aqui você aprende a usar o tecido sem errar)

BRUNO ACIOLI

O Tapete Vermelho é sempre um show à parte. Claro, a premiação do Oscar é a mais importante do cinema mundial, mas o percurso até o auditório onde os troféus são entregues tem sim um valor diferenciado. É ali que as estrelas da sétima arte desfilam como se estivessem em alguma das maiores semanas internacionais de moda.

E, a julgar pelo último domingo, as celebridades do momento têm um recado: o veludo está de volta!
Aqui você confere tudo o que precisa para incluir o tecido em seu visual sem errar e, quem sabe, chegar a 1% da elegância de Michael B. Jordan na próxima estação.

/ o pode do veludo

 Antes de descobrir como incluir o veludo em seu look é preciso relembrar a história deste que é um dos tecidos mais antigos do mundo. Produzido no oriente, foi popularizado na Europa durante a Idade Média. No século 15, o rei inglês Henry IV determinou que o veludo só poderia ser usado por nobres e pessoas da realeza. Chique, hein?

Para Thaís Prado, especialista em vestuário pelo Senai, essas características de nobreza e requinte permaneceram mesmo séculos depois. “É importante dizer que um look não transmite somente as características de cada peça, mas sim do tecido. E o veludo demonstra todo esse poder, requinte, robustez, tem propriedade, exatamente por toda essa história que carrega”, diz.    

Vale lembrar que existem diferenças importantes: este veludo a qual nos referimos e foi destaque no tapete vermelho do Oscar é conhecido como “molhado”.  É um material acetinado, que já possui um brilho próprio e chama atenção, diferente do veludo cotelê, que possui tramas expostas e remete uma imagem mais vintage. Esse você pode deixar no guarda-roupas, pelo menos por enquanto.

 

// Cuidado com o visual

O veludo é um tecido que vem como tudo para a próxima temporada no Brasil, já que fora do país ele já está sendo usado. “Com a moda voltando, remetendo aos anos 70, o tecido merece ser utilizado em ocasiões que demandam elegância”, orienta Thaís.

Para expor todo o requinte que o veludo merece, a medida é investir em tons mais sóbrios e escuros (como marinho, preto, chumpo, petróleo). “Um exemplo contrário foi o uso do veludo no Oscar. Nós vimos muito da utilização em tons pastéis. É muito bonito, só que é preciso entender que existem ocasiões onde as pessoas precisam ser vistas e, portanto, essa combinação dá mais certo para famosos, como é o caso dos atores [Sim, estamos falando de Jason Mamoa e Chris Evans]”, alerta Thais. 

Quer receber mais conteúdos como este?
Inscreva-se abaixo. Nada de spam!

A especialista em estilo explica que você pode, claro, lançar mão de tendências da moda, desde que elas não fujam ao seu estilo natural. “Se você é mais descontraído, mais ligada a moda, tem uma licença poética para usar tons mais chamativos, mas tenha em mente que trazem olhares mais acentuados, e críticos.” 

 

/// A ocasião ideal 

 

Ao longo de toda história da moda, o veludo carregou esse ar da nobreza e elegância e, por isso, merece ser utilizado em ambientes formais, como casamentos e premiações, sempre à noite. “É um tecido invernal e encorpado, mas claro que a moda permite usá-lo de diversos modos, desde que respeite-se as características do tecido”, comenta a especialista em estilo. 

 

O veludo, em especial o molhado, combina com a noite porque o tecido é acetinado e tem um brilho característico. Um blazer de veludo ou com detalhes em veludo combina com uma calça mais sóbria ou você pode também inverter e deixar para a parte de baixo do seu look com destaque ao veludo. 

 

“O que é em excesso peca, então deixe o protagonismo para o veludo. Não combine com outro tecido chamativo, como o jacquar, e garanta que sua roupa tem um corte adequado para não causar estranheza”, orienta Thais. 
 
E, lembre-se: Um homem com um bom terno é um James Bond. Um homem com um bom terno de veludo é um Corleone. Pegou a diferença?