Um estudo publicado no periódico  Evolutionary Psychology Science propõe que adeptos do sexo casual, tanto homens quanto mulheres, agem movidos – inconscientemente – pela ausência da figura paterna ao longo do crescimento na infância e adolescência. 

Os pesquisadores entrevistaram cerca de 344 pessoas (sendo 91 homens e 247 mulheres) de 17 a 40 anos. Os participantes tinham uma tarefa simples: apontar a frequência sexual e quão estressante era a vida em família antes da faculdade. Inclusive, era preciso especificar se existia uma figura paterna presente ao longo do crescimento de cada um.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

Acontece que, independente se homens ou mulheres tiveram mais encontros casuais, os cientistas descobriram que quanto mais cedo as pessoas perdem a referência paterna em casa, mais cedo elas tendem a praticar sexo descompromissado.

Catherine explica ainda que crescer sem a presença do pai desenvolve uma noção de que é preciso viver a vida intensamente. E para chegar a esse veredicto, os participantes (tanto homens quanto mulheres) tiveram de responder algumas perguntas como: você acredita que sua infância tenha sido estressante? Você cresceu sob circunstâncias ruins? Seus pais eram insensíveis? Entre outras. Quem sinalizou com sim para algumas dessas questões eram mais tendenciosos a insegurança em relacionamentos, amadurecimento precoce e também atividade sexual precoce, mas principalmente no interesse em relações de curta duração.