Pensando no universo erótico e nas fantasias sexuais, o site alemão C-date perguntou aos usuários no Brasil se eles assistiriam filmes eróticos durante uma noite de sexo casual. Segundo o levantamento, 43,88% das mulheres responderam que assistiram um filme com temática erótica em um encontro, 57.85% delas responderam que só assistiriam caso se sentissem à vontade com o parceiro.

Para Carla Cecarello, sexóloga e consultora do site C-date, essa abertura do público feminino aos filmes eróticos se deve ao fato de que muitas mulheres se sentem mais livres numa noite de sexo casual. “Podemos explicar isso pelo simples fato de, numa noite de sexo casual, a pessoa está mais disposta a experimentar as novas oportunidades que a situação apresenta”, destaca. Para Carla, a mulher deixa de lado os preconceitos e tabus frente a certas coisas, estando, então, mais aberta a conhecer. “Vai que rola um segundo encontro? Aí deixar a impressão de que se está aberta a novas situações, mostra desprendimento e simpatia”, explica Carla.

Porém, para deixar a vergonha de lado e aproveitar as oportunidades que o sexo casual proporciona, muitas pessoas precisam sentir segurança vinda do parceiro. Na pesquisa, os homens também mostraram essa preocupação em se sentirem tranquilos com a parceira sexual. “Um novo homem vem surgindo, ou seja, aquele que também escolhe com quem quer compartilhar os momentos de maior excitabilidade, com mais intimidade e, por que não mais sacanagem. Ele acaba dividindo o momento com quem ele acredita se sentir melhor”, comenta Carla.

Para a consultora do C-date, a pesquisa realizada pelo site demonstra uma mudança no comportamento de homens e mulheres que praticam sexo casual. “O fato é que estes resultados revelam uma mudança comportamental interessante, ou seja, mulheres mais dispostas a experimentar coisas novas e homens mais dispostos a compartilhar momentos de sacanagem com mulheres que tem mais afinidade. Mesmo que numa noite de sexo casual, o filme erótico pode contribuir para aumentar a excitabilidade e descontrair a situação e o momento”, completa Carla.