Masturbação pode ser uma boa para matar o tempo, lidar com o tesão e até mesmo treinar um pouco de consciência corporal. Por mais que você se considere pró na arte de mandar ver sozinho, reunimos 12 coisas que devem ser inéditas quando o assunto é estourar a champanhe. 

1/ Maio é o mês da masturbação

Caso você não tenha anotado na agenda, maio é tido como o mês da masturbação. Instituída por uma loja de produtos eróticos em 1995 em homenagem à médica estadunidense Joycelyn Elders, a primeira secretária de saúde negra dos EUA. A “comemoração” foi defendida pela especialista no ano anterior como parte da sexualidade humana que merecia ser aprendida e estudada, durante discurso na ONU no Dia Mundial da Aids daquele período. Infelizmente, a fala rendeu uma demissão, mas também levou o assunto a ser escudado amplamente no mundo, inclusive pela Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido que, em 2009, distribuiu panfletos explicativos a pais e adolescentes sobre os benefícios da masturbação para a saúde.

2/ Há um jeito “errado” de se masturbar

Acidentes sexuais são comuns (como romper a cavidade do pênis, por exemplo). Segundo estudo publicado pelo periódico Trauma and Acute Care Surgery, 60% das fraturas penianas ocorrem durante a masturbação. Outros problemas como estrangulamento do membro (sim) por pressão demasiada, infecções por conta de feridas de fricção da pele com a mão e gangrena também estão na lista de erros ao se masturbar. Lembre-se disso na hora de descabelar o palhaço.

3/ Ejaculação na masturbação é diferente daquela durante o sexo

Pode ser uma surpresa, mas o sêmen expelido durante a masturbação não é o mesmo, no sentido de tipo e volume, daquele que acontece quando há penetração. Diversos estudos realizados nos anos 90, incluíndo um realizado no Japão, mostraram que o gozo na transa contém mais esperma. A explicação pode estar na próstata: o órgão, segundo especialistas, trabalha mais durante o sexo. 

Além disso, até mesmo o orgasmo de uma masturbação é diferente de outra. Pesquisa divulgada no Evolutionary Psychological Science descobriu que o corpo produz mais sêmen quando homens assistiram a filmes pornográficos com mulheres que eles nunca haviam visto, em comparação aquelas, digamos, favoritas. 

4/ Perder a ereção durante a masturbação pode ser um problema

Quando o pneu murcha durante o sexo, dá para relevar. São vários fatores que envolvem a perda de ereção nesse contexto: nervosismo, estresse, cansaço, pressa… porém, pesquisadores italianos descobriram que 45% dos homens são incapazes de sustentar o mastro mesmo durante a masturbação e isso pode estar relacionado com doenças do coração. A razão é que uma disfunção erétil é sinal precoce de problemas vasculares e cardíacos e, se for o seu caso, o recomendado é procurar um médico o quanto antes.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

5/ A masturbação pode livrar sua próstata de um câncer

Estudo recente produzido em Harvard revelou que homens que ejaculam 21 ou mais vezes por mês tiveram de 19% a 22% menos risco de desenvolver cancer de próstata quando comparados a homens que ejaculavam entre 4 a 7 vezes durante 30 dias. Considerando que há cerca de 65 mil casos da doença diagnosticados por ano no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, é melhor – e mais gostoso – pecar pelo exagero do que pela falta.

6/ É possível chegar ao orgasmo sem ejacular

A primeira coisa que você deve saber é que ejaculação e orgasmo não são a mesma coisa, muito embora, sejam facilmente associados. Ejaculação é o processo de saída, expelir o esperma pelo pênis através da contração dos músculos que ficam na região genital. A pressão muscular facilita a expulsão do sêmen. Já o orgasmo é o ápice de prazer que o homem sente na relação sexual e que vem acompanhada de uma queda abruta de estímulo, correspondente a perda da ereção e à necessidade de tempo de recuperação.

Homens podem sim, sentir orgasmo sem ejacular caso tenha, por exemplo, ejaculado várias vezes durante o dia e não ter mais reservas de esperma. Assim, atingir o ápice sexual sem sentir orgasmo, como, por exemplo, em casos de ejaculação precoce, em que você pode ejacular rapidamente sem sentir o pico de prazer.

7/ Fetos masculinos podem se masturbar no útero

Você se lembra da primeira vez em que se masturbou na vida? Repense essa memória! Pesquisadores espanhois descobriram que é possível que os fetos masculinos estimulem o pinto já dentro do útero. De acordo com o estudo, os pesquisadores admitem que é possível que o estímulo peniano comece durante a gestação, uma vez que esfregar, apertar, massagear e outros movimentos no bilau trazem sensação de conforto e prazer. 

8/ Masturbação pode atrapalhar o sexo

Dizem que nenhuma pessoa no mundo sabe bater uma tão bem quanto você mesmo. Há um nome para isso: masturbação idiossincrática. Traduzindo, seu corpo está tão habituado ao estímulo e contexto que você mesmo produz (ao assistir a um pornô, usar acessórios, horários) que pode ser difícil alcançar o clímax quando estiver com alguém na cama. Se esse for o caso, tire uma folga da punheta ou tente variar a forma como você chega lá quando está sozinho. 

9/ Somos novatos quando o assunto é masturbação 

Você pode até ser viciado em descascar uma, mas certamente está muito atrás neste assunto. Aliás, todos os homens estão. Para nós, a masturbação é mecânica. Já para as mulheres, é como uma inteligência artificial. Até mesmo os animais manjam mais dessa arte. Sim, os bichinhos também curtem um prazer fálico. Eles esfregam em árvores, buracos, no próprio corpo… Alguns são flexíveis o bastante para botar a boca na botija. Desculpe se a partir de agora você vai pensar que o Rex não está somente “limpando” as partes íntimas no seu sofá.

10/ Vibradores servem para os homens também

É inegável que há no mercado brinquedos eróticos muito mais interessantes para elas do que para nós. Tamanhos e funções variadas, que estimulam não só a penetração, mas clítoris, lábios, virilhas e por aí vai. No entanto, estudo publicado no Journal of Sexual Medicine mostrou que 16% dos homens heterossexuais relataram usarem os vibradores das namoradas e esposas para dar um up na masturbação. Isso não significa que você deva enfiar o acessório em algum lugar, mas a vibração realmente é algo interessante. Em todo o caso, abra a sua mente e experimente! Sua próstata vai agradecer. 

11/ Satisfação sexual deixa a masturbação de lado

Outro estudo no mesmo Journal of Sexual Medicine sugere que os homens superestimam a masturbação. Isso porque um número considerável de homens que se dizem felizes, sexualmente falando, não se lembraram do histórico de punhetas por um período anterior a data da pesquisa. 

12/ Nem todos os homens se masturbam

Em 2016, um estudo revelou que somente 57% dos homens se masturbavam regularmente. De acordo com Debby Herbenick, professora do departamento de ciência de saúde aplicada da Universidade Bloomington de Indiana (EUA) e autora do estudo, a razão pode ser o volume considerável de relações sexuais, baixo interesse em masturbação ou até mesmo perda de tesão. Segundo a médica, não há com o que se preocupar desde que o fato não interfira na sua vida.