Cenas comuns em reuniões de negócios são executivos disputarem quem está trabalhando mais, como se isso fosse motivo de orgulho, contudo, o que não se percebe nessas situações é que pode se estar caracterizando uma disfunção, que é o fato de ser um workaholic. Soa familiar?

/ Workaholic x Worklover

Workaholic não significa ser mais produtivo. É importante saber diferenciar o amor ao trabalho do vício. “Um worklover tem noção de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar”, explica Celso Bazzola, especialista em recursos humanos e diretor executivo da Bazz Consultoria, de São Paulo.

Muitas vezes, a desorganização no seu dia faz com que você trabalhe mais tempo para entregar o mesmo resultado? Alerta vermelho, meu caro.

workaholic

/ Características do workaholic

Vamos citar algumas situações e você acene com a cabeça, caso as afirmativas se confirme, combinado?

Mesmo fora de seu ambiente de trabalho, a maioria dos temas são sobre seus negócios? Você chega a trabalhar mais de 12 horas por dia no escritório e ainda leva serviço para casa? Ou pior: recebe críticas dos amigos ou da esposa por ficar checar e-mails para saber se existe alguma pendência no trabalho? Então, você é um workaholic. E, não, isso não é motivo de orgulho.

/ O problemas do vício em trabalho
Para Bazzola, a situação pode ser bastante problemática e pode trazer sérios prejuízos para você. Há um desgaste emocional natural, pois você estará isolado e restrito ao tema trabalho, bloqueando sua sociabilização o que poderá resultar em sérios transtornos futuros para sua vida.” Entre os efeitos colaterais, você pode enfrentar autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.

workaholic

A situação pode ser tão grave que estudos recentes de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontam que o vício de trabalho é similar à adição ao álcool ou cocaína. Tornado o trabalho, nesses casos uma obsessão doentia.

/ Desligue a chave
Não há pecados em trabalhar esporadicamente além de sua carga diária, você sabe. Desde que essa ação seja meramente por necessidade de urgência e de impacto específico. Isso, para o mercado de trabalho, acaba sendo um diferencial. A partir do momento que a carga horária começa a extrapolar constantemente é momento de refletir. O trabalho será saudável enquanto não aprisiona na necessidade constante de falar e estar agindo pelo trabalho.

É importante lembrar que a vida é muito mais do que só trabalhar e que uma mente que não descansa não é totalmente sã. Assim, não adianta trabalhar demais. Isso possivelmente ocasionará erros e retrabalhos. “Para trabalhar bem é preciso, em algum momento, parar de trabalhar. É uma questão de lógica”, finaliza o consultor.