Atualização recente no Tinder pretende proteger usuários em viagem para países contrários à diversidade sexual.

A partir de 24 de julho, o popular aplicativo de encontros Tinder adiciona um novo recurso ao serviço projetado exclusivamente para proteger os membros das comunidades marginalizadas enquanto viajam para o exterior. O Tinder Travel Alert tem como alvo cerca de 70 países que atualmente criminalizam ou desestimulam fortemente os direitos LGBTQ+, e permite que seu perfil permaneça invisível no aplicativo durante sua viagem para uma dessas nações nada amigáveis.

Contudo, você tem a opção de descartar esse recurso de invisibilidade e aparecer para outros usuários do Tinder locais nessas áreas. A iniciativa do aplicativo tem como parceiros a Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexos (IGLA, na sigla em inglês) para determinar quais países eram considerados inseguros ou hostis à comunidade LGBTQ +.

Além disso, o Tinder Travel Alert ocultará automaticamente detalhes de sua orientação sexual e de identidade de gênero enquanto você estiver pelas bandas de algum país hostil. Assim que esses usuários voltarem para casa – ou para uma nação progressista mais segura e mais receptiva – o aplicativo desativará a ocultação automática de suas informações.

tinder

De acordo com as Dicas de segurança do Tinder: “É importante ter cuidado extra se você optar por se conectar com novas pessoas nesses países, já que algumas autoridades legais usam aplicativos de encontros como ferramentas para possíveis armadilhas. Alguns países também introduziram recentemente leis que criminalizam as comunicações entre indivíduos em sites de relacionamento com pessoas do mesmo sexo ou até mesmo agravam penalidades se essa comunicação levar a encontros sexuais. ”

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

/ TINDER A FAVOR DA COMUNIDADE LGBTQ+

De acordo com as dicas de segurança do Tinder, que aparecem com a atualização do aplicativo, é importante ter cuidado extra se você optar por se conectar com novas pessoas nesses países, já que algumas autoridades legais usam aplicativos de encontros como ferramentas para possíveis armadilhas. O comunicado ainda suscita que alguns países também introduziram recentemente leis que criminalizam as comunicações entre indivíduos em sites de relacionamento com pessoas do mesmo sexo ou até mesmo agravam penalidades se essa comunicação levar a encontros sexuais.

“Acreditamos fundamentalmente que todos devem ser capazes de amar quem eles querem amar – e nos esforçamos para refletir isso em tudo que fazemos no Tinder. É impensável que, em 2019, ainda existam países com legislação em vigor que priva as pessoas desse direito básico ”, disse Elie Seidman, CEO do Tinder em um comunicado à imprensa.

“Servimos todas as comunidades – independentemente da identidade de genero ou orientação sexual – e estamos orgulhosos de oferecer funcionalidades que ajudam a mantê-las seguras. Esse alerta é um exemplo dos muitos passos que estamos tomando para proteger nossos usuários em todo o mundo “, finaliza a nota.

Esta última funcionalidade do Tinder se junta a uma série de outras iniciativas projetadas para ajudar a comunidade LGBTQ +. A maior rede de conexão do mundo patrocinou recentemente uma pesquisa de encontros sobre as preferências e atitudes dos membros que se identificaram como LGBTQ +, e também lançou um recurso de orientação sexual de alto perfil para facilitar as conexões entre essas pessoas.