Você sabe que praticar qualquer atividade física traz inúmeros ganhos a sua saúde, não sabe? A corrida de rua, por exemplo, ajuda a controlar o colesterol, a diminuir a hipertensão, regular e até mesmo prevenir o diabetes, doenças cardíacas, entre outras muitas vantagens. Porém, um dos pontos que muita gente esquece durante os treinamentos semanais (inclusive você) é a recuperação.

A importância da recuperação

“Um velho paradigma que se expõe como justificativa para não descansar é o de que treinos de baixa intensidade, ou até mesmo ficar sem treinar, podem provocar um declínio na condição física”, explica André Cezário Lima, treinador de corrida da Lobo Assessoria Esportiva e bacharel em educação física pela Escola de Educação Física da Policia Militar de São Paulo. “Contudo, diversos estudos já comprovaram que os maiores ganhos fisiológicos ocorrem durante o descanso, que é quando o corpo restabelece as reservas energéticas, condição hormonal, reparação muscular, dentre outras adaptações, que possibilitam uma evolução física de forma saudável”, completa.

Mas é preciso entender também que descansar não é ficar deitado no sofá zappeando os canais.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, TAMBÉM ODIAMOS SPAM!
recuperação ativa


Isso, definitivamente, não é descansar

/ RECUPERAÇÃO ATIVA

Umas das formas de recuperação que existe é o descanso ativo. Isso é caracterizado por uma atividade de baixo ou nenhum impacto, sempre com uma intensidade extremamente baixa. No caso da corrida, este descanso pode ser feito com uma caminhada, musculação, ciclismo e natação. Além disso, o descanso ativo pode ser excelente na prevenção de lesões. “Permite-se, de maneira saudável, que sistemas importantes como o musculo-esquelético, cardiovascular, imunológico e até psicológico, se recuperem a ponto de possibilitar uma nova sessão intensa”, explica André.

recuperação ativa

/ A IMPORTÂNCIA DO SONO

Um estudo conduzido pelo Instituto do Sono do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), reforça que o sono tem função restauradora das ações metabólicas gastas durante a atividade física. Com as energias carregadas, literamente, o corpo estará restabelecido novamente para uma nova carga de treinamento.

Seguindo outra linha de estudo, o Colégio Americano de Medicina recomenda que atletas, tanto amadores como profissionais, devem ter, no mínimo, 8 horas de sono por dia. Este período é suficiente para que o corpo consiga gerar todos os benefícios da recuperação e prepara-lo novamente para a próxima carga de exercícios.

Porém, o treinador ressalta que essa relação de horas-sono varia muito dependendo da pessoa. O importante é que você passe por todos os ciclos do sono para que haja a liberação de hormônios essenciais (como o GH e testosterona, que atuam na reconstrução muscular) para recuperação do organismo.

“Sem dar atenção devida a estes aspectos, você pode atingir um nível altíssimo de fadiga, tornando-se mais suscetível a lesões e comprometendo seu organismo como um todo, um problema conhecido como overtraining”, atenta o treinador.

/ NÃO SE ESQUEÇA DE APROVEITAR A VIDA

A corrida é muito importante para sua saúde, mas tirar uma folga também. Dedique um dia para você curtir com os amigos, tomar uma  cerveja (com moderação), sair com a namorada, etc. Esses momentos também serão muito importantes nos seus treinamentos.